Atendimento: [14] 3402-3300

Acim reúne empresariado e explica o Cadastro Positivo

Marco Aurélio Bertaiolli, vice-presidente da diretoria da Facesp, estará em Marília explicando detalhes sobre o Cadastro Positivo

A diretoria da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília reunirá os empresários marilienses e da região para explicar detalhes sobre o Cadastro Positivo, um novo sistema de consulta envolvendo os bons pagadores. “Queremos trabalhar com os bons”, resumiu o presidente da entidade de Marília que recepcionará o vice-presidente da diretoria executiva da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo, Marco Aurélio Bertaioli e do presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), Walter Ihoshi, bem como o representante da Associação Nacional do Bureaus de Crédito, Dirceu J. Gardel Filho, para um café da manhã, as 9h30, na próxima sexta-feira, dia 31, na sede da entidade associativa.

De acordo com Adriano Luiz Martins é importante saber trabalhar com o Cadastro Positivo, que beneficia empresas e pessoas, em várias situações, havendo um maior poder de negociação na hora de solicitar crédito com a possibilidade de menores taxas e melhores prazos, uma vez que, a avaliação de crédito é baseada no comportamento de pagamento e não somente nas informações restritivas, uma vez que, proporcionará o conhecimento sobre o que o mercado irá considerar na concessão de crédito graças ao monitoramento do histórico de pagamentos, além de, contar com um cadastro que demonstra que a empresa é boa pagadora. “Sabendo utilizar tudo isso as chances de efetuar um mal negócio são mínimas”, acredita o presidente da associação comercial de Marília, que acredita na presença de um bom número de pessoas na auditório da Acim, com entrada pela Rua Prudente de Moraes, 345.

Um estudo realizado recentemente sobre o impacto do cadastro positivo no varejo em geral, mostra o potencial de injeção de R$ 1,3 trilhão na economia brasileira. Além disso, o cadastro também pode incluir mais 22,6 milhões de pessoas atualmente fora do mercado de crédito. A regra, que passará a valer em julho, prevê a inclusão no cadastro de forma automática e o consumidor deverá ser comunicado em até 30 dias de que seu cadastro foi aberto. Se por algum motivo esse consumidor não quiser participar, ele precisará pedir a exclusão do nome a um dos birôs de crédito: Serasa, SPC, Boa Vista e Quod. “O cadastro positivo foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro em abril, mas foi criado em 2011”, disse Adriano Luiz Martins. “Agora a nova lei amplia seu uso, podendo ser entendido como um grande banco de dados que classifica os consumidores, compondo uma lista de bons pagadores, a partir do registro da pontualidade no pagamento das contas”, explicou o dirigente mariliense.

Para o varejo será uma alternativa interessante, de acordo com o presidente da associação comercial, pois o setor produtivo terá mais informações cadastrais do cliente, fazendo com que a política de crédito seja revista e ampliada, já que os bons pagadores serão melhor identificados. “As decisão acabarão tendo um suporte muito mais objetivo com consequente melhoria da circulação do capital”, disse Adriano Luiz Martins, ao lembrar que neste banco de dados dos cidadãos podem constar contas como: crediários, financiamentos e mensalidades de serviços como água, luz, esgoto, gás e telefone – e essas informações podem ser cedidas pelas companhias fornecedoras ou prestadoras destes serviços. “Por essas e outras o encontro na sexta-feira passa a ser interessante para conhecer todos os detalhes”, convidou o presidente da Acim ao dizer que a entrada é gratuita e qualquer pessoa pode participar se inscrevendo pelo portal: https://bit.ly/EncontroFacesp.

Acim reúne empresariado e explica o Cadastro Positivo
Avalie esta postagem

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?