Atendimento: [14] 3402-3300

Ano começa em alta de 3,6% na primeira quinzena

Gilberto Joaquim Zochio, tesoureiro da associação comercial, fala sobre a tendência do comércio varejista

Mais uma demonstração de que o comércio varejista está reagindo positivamente ao novo momento econômico. Segundo o tesoureiro da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, Gilberto Joaquim Zochio, o movimento nas vendas do varejo da capital paulista cresceu em média 3,6% na primeira quinzena de janeiro sobre o mesmo período de 2018, segundo o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). “O comércio paulistano dita a tendência do varejo em todo o Brasil, por concentrar o maior número de consumidores e comerciantes”, disse o dirigente mariliense ao observar no trabalho realizado pela ACSP de que as comercializações à vista (4,6%) aumentaram mais do que as transações a prazo (2,6%). “Para o lojista isso é muito bom”, disse com experiência no comércio de vários anos.

Para o presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alencar Burti, o comportamento do varejo de forma positiva é um reflexo da esperança de dias melhores na economia do País. “O sistema à vista, que abrange principalmente compras de menor valor, tem sido beneficiado pelas altas temperaturas nesse início de ano, que estimulam as vendas de roupas e calçados da moda primavera-verão, adereços, artigos de praia, bronzeadores, etc”, disse o dirigente paulistano ao apontar outras alternativas de aquecimento da economia nos primeiros dias do ano.

Também em função do forte calor, bens duráveis como ventilador e aparelho de ar-condicionado também têm se destacado, puxando para cima o sistema a prazo, mesmo com as altas tributações incidentes sobre eles, conforme divulgou a ACSP. “Dai a necessidade do comércio se adaptar de acordo com a necessidade do consumidor”, ressaltou Gilberto Joaquim Zochio ao lembrar da obrigação do lojista sentir o cliente e atender naquilo que ele deseja. “Quem aponta o que o comércio deve vender é o consumidor”, ensinou o dirigente mariliense ao indicar a criatividade como sendo de fundamental importância neste período de férias escolares em que famílias se movimentam para centros turísticos, esvaziando um pouco o comércio local.

Na comparação com a primeira quinzena de dezembro de 2018, os 15 primeiros dias de janeiro registraram queda média de 36,6%. A variação negativa já era esperada, por ser sazonal, visto que dezembro tem uma base forte por causa do Natal e do 13º salário. As retrações foram de 44,1% nas vendas à vista e de 29,1% a prazo. “Esses dados devem ser alterados nos últimos anos, devido ao crescimento da campanha do Black Friday no mês de Novembro, que está afetando o desempenho do mês de Dezembro”, lembrou Gilberto Joaquim Zochio que também esperava números inferiores, devido as vendas crescentes no mês anterior.

O Balanço de Vendas é elaborado pelo Instituto de Economia Gastão Vidigal da ACSP com amostra fornecida pela Boa Vista SCPC. “Isso ajuda o planejamento do comércio em geral, afinal, comerciante preparado não é surpreendido”, enfatizou o tesoureiro da associação comercial de Marília que sugere aos lojistas em geral o acompanhamento da performance do varejo em todos os sentidos. “Os números são reais e nos orientam como devemos nos comportar de acordo com a tendência nacional”, falou ao seguir os balanços apresentados pela ACSP mensalmente.

Ano começa em alta de 3,6% na primeira quinzena
Avalie esta postagem

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?