Atendimento: [14] 3402-3300

Bebidas e perfumes os mais tributado da época, diz Acim

Manoel Batista de Oliveira, vice-presidente da associação comercial, comenta sobre a tributação de preços

Neste período do ano com a celebração do Dia dos Pais, consumidores e comerciantes se encontrarão em demasia, para as compras dos presentes ao pais, nos principais corredores comerciais da cidade de Marília, além de galerias e shoppings que prometem grande movimento nesta época. De acordo com o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília, Manoel Batista de Oliveira, o consumidor deve prestar atenção nos preços dos produtos e ter a consciência de que a tributação é a grande vilã para o encarecimento dos produtos. “As bebidas e perfumes estão no topo de ranking tributário”, disse o dirigente mariliense ao observar a tabela de produtos com os respectivos valores e taxações criada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) que faz um trabalho constante neste sentido, como forma de mostrar ao consumidor o quanto o Governo influência nos valores de produtos e serviços.

Segundo Manoel Batista de Oliveira os tributos embutidos nos presentes mais populares do Dia dos Pais podem pesar no bolso do consumidor este ano, segundo este levantamento realizado pela entidade paulistana. No caso de um perfume nacional de R$ 120, cerca de R$ 83 são desembolsados só para o pagamento de impostos que incidem sobre o preço final do produto. “Em termos porcentuais, isso significa uma carga tributária de 69,13%”, calculou o dirigente da associação comercial de Marília. “No caso de uma fragrância importada, a alíquota sobe para 78,99% – é a mais alta da lista de 43 produtos”, disse surpreso ao verificar a tabela que conta com produtos como: perfume importado, vinho importado, perfume nacional, vodca, whisky, tablet importado, tênis importado, relógio, vinho nacional, câmera fotográfica, caneta, bola de futebol, barbeador elétrico, caixa de ferramentas, caixinha de som, televisor, óculos de sol, tênis nacional, canivete, porta-retrato, cerveja artesanal, espuma para barbear, telefone celular, caneca, tablet nacional, sapato, gravata, boné, bermuda, blazer, calça jeans, calça (tecido), camisa de time de futebol, camisa social, camiseta, casaco de couro, pijama, terno, microcomputador, almoço/jantar em restaurante, ingresso jogo futebol, ingresso cinema e livro.

As bebidas alcoólicas também estão no topo do ranking: vinho importado (69,73% de impostos), vodca (67,03%) e whisky (67,03%). “As tributações são muito altas para o pouco retorno que a população tem em serviços”, comenta o economista da ACSP, Marcel Solimeo. “Além disso, o emaranhado burocrático do sistema tributário brasileiro encarece e atrapalha a vida das empresas e dos cidadãos”, opinou. “Acertadamente a reforma tributária é a próxima a ser proposta pelo governo, depois da aprovação da reforma da Previdência”, imagina o dirigente paulistano. “Toda simplificação de tributos é bem-vinda, mas ela precisa ser estudada de forma profunda para que não resulte em aumento da carga, prejudicando ainda mais os investimentos e o poder de compra do brasileiro”, alerta Marcel Solimeo.

Entre os presentes do levantamento de Dia dos Pais estão a camisa, com tributação de 34,67%, a mesma alíquota de outros itens de vestuário como pijama, calça jeans, camiseta de times de futebol e casaco de couro. Já o livro (15,52%) e os ingressos para eventos culturais e esportivos (20,85%) são os menos tributados. A lista foi encomendada pela ACSP ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) e pode ser conferida no site da entidade: www.facesp.com.br.

Bebidas e perfumes os mais tributado da época, diz Acim
Avalie esta postagem

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?