Atendimento: [14] 3402-3300

Contas aprovadas na Acim para o exercício de 2017

Reunião realizada na sede da Acim avaliou o exercício contábil de 2017 e aprovou as contas

 

As contas administrativas do exercício de 2017 da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília foram aprovadas pelos conselheiros que formam o Conselho Fiscal e pelos associados que participaram da Assembleia Geral Extraordinária. “Cumprimos mais uma determinação do Estatuto da entidade e as contas do exercício do ano passado foram aprovadas, com louvor”, anunciou Adriano Luiz Martins, presidente da diretoria que assumiu a entidade no mês de fevereiro. “Tudo esclarecido e auditado”, afirmou o dirigente mariliense que gostou da participação de um bom número de associados que fizeram parte da assembleia. “Aprovamos o parecer do Conselho Fiscal que foi minucioso nas contas”, disse.

Dentre os documentos e planilhas apresentados, todo o exercício de janeiro a dezembro de 2017 foi registrado e apresentado neste encontro que primeiro foi com os conselheiros e na sequência com os associados. “Primeiro os integrantes do Conselho Fiscal, juntamente com a empresa de contabilidade, os diretores tesoureiros e o superintendente fizeram uma explicação e demonstração”, comentou Adriano Luiz Martins. “Depois do parecer definido, aprovando as contas, o mesmo aconteceu na assembleia com os associados”, completou o dirigente que considerou válido o modelo utilizado, otimizando a presença de todos os envolvidos. “Inclusive reunimos os dois conselhos fiscais”, lembrou.

De acordo com os números apresentados, tanto o presidente Libânio Victor Nunes de Oliveira, que encerrou a gestão em janeiro deste ano, quanto Adriano Luiz Martins, que iniciou em fevereiro, os números são positivos e saudáveis, proporcionando tranquilidade para a diretoria, porém, com atenção dobrada. “O mais difícil não é chegar onde os números mostram uma situação estável”, disse o atual presidente. “A dificuldade é manter ou aumentar”, falou ao parabenizar a diretoria anterior pelo excelente trabalho realizado que apontou para cada R$ 1,00 de dívida existente, a associação comercial de Marília tem atualmente R$ 33,01 para liquidar. “A liquidez corrente vem crescendo a cada ano”, comparou o diretor superintendente, José Augusto Gomes, ao mostrar gráfico evolutivo de liquidez corrente de R$ 15,43 em 2016 e de R$ 10,46 em 2015, para cada real de débito existente.

Mesmo com um perfil tranquilizador, Adriano Luiz Martins, sugere cautela. “O crescimento do número de serviços oferecidos, bem como o saneamento nas contas internas e o cuidado com os investimentos, proporcionam para a entidade um cuidado constante com o emprego do capital da associação comercial”, comentou o presidente atual. “Administrar a própria empresa é uma situação”, ressaltou Libânio Victor Nunes de Oliveira. “Administrar uma associação, em que os riscos são maiores e o dinheiro não é seu, é uma situação bem diferente”, comentou o presidente da gestão anterior, agradecido pela compreensão dos conselheiros fiscais. “Por essas e outras que esta diretoria tem que zelar da melhor maneira possível, aquilo que não é nosso”, defendeu Adriano Luiz Martins em tom de preocupação.

Contas aprovadas na Acim para o exercício de 2017
Avalie esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?