Atendimento: [14] 3402-3300

Diretoria da Acim conhece sistema de mineração de moedas

Reunião na sede da Acim, com parte da diretoria, explicou o novo mercado de moedas virtuais

Parte da diretoria da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília esteve reunida na sala de reuniões da entidade para uma exposição rápida, prática e bastante explicativa sobre o sistema de mineração de moedas, considerado como uma tendência no meio empresarial de âmbito mundial. Através da empresa CIMS, especializada em mineração de criptomoedas, os dirigentes marilienses passaram a conhecer como é o processo de mineração com economia, segurança, tecnologia e garantia. “É preciso falar mais sobre Blockchain, criptomoedas e mineração, que serão temas básicos para grandes investimentos e transações financeiras”, acredita Adriano Luiz Martins, presidente da associação comercial mariliense ao promover o encontro.

A tecnologia Blockchain é o segredo para que todas as espécies de transações e trocas no mundo (não apenas dinheiro e criptomoedas), sejam feitas com mais segurança, agilidade e sem intermediação de terceiros. “É a liberdade de ação e decisão”, disse André Zimmermann, representante da CIMS ao fazer a explicação de forma direta e simples. “As criptomoedas são códigos virtuais que podem ser convertidas em valores reais”, explicou o especialista ao responder vários questionamentos. “Tudo é feito pela internet, sem burocracia e sem intermediários, caracterizada pela ausência de um sistema monetário regulamentado e da dependência de uma autoridade financeira, como por exemplo, o Banco Central do Brasil”, disse André Zimmermann.

O termo mineração se deve ao processo pela qual transações de moedas digitais são verificadas, validadas e adicionadas a blockchain. “É também o meio que novas criptomoedas são geradas onde mineradores ganham recompensas em criptomoedas por desenvolverem esse trabalho”, completou o especialista ao apontar os benefícios de ter uma mineradora como: segurança da tecnologia blockchain; ativo gerador de renda passiva; sem preocupação com manutenção; rendimento 24 horas por dia e a diversificação de investimentos. “Hoje em dia pode parecer algo estranho, complicado e até monstruoso”, falou Libânio Victor Nunes de Oliveira, que esteve como presidente da Acim por dois mandatos. “Mas o empresário do futuro precisa entender e compreender esta sistemática”, acrescentou o empresário que gostou do que ouviu.

De acordo com o superintendente da Acim, José Augusto Gomes, é possível utilizar as criptomoedas de diversas formas como: reserva de valor; especulação, transações on line; conversão para moeda local; reinvestir em outras criptomoedas e aquisição de novas máquinas. “Os chamados “Bitcoin” valorizaram nos últimos dois anos 822%”, apontou o dirigente da Acim, que também considerou o encontro positivo como forma de conhecer, com mais detalhes, este novo mercado. “A Receita Federal do Brasil classifica as criptomoedas como um ativo financeiro”, completou Reinaldo Miguel, que também faz parte da diretoria executiva da Acim. “Portanto, sujeito a tributação pelo ganho de capital”, completou o empresário que também considerou a exposição válida. “Precisaremos de mais encontros desta natureza entre a diretoria e associados”, acredita Adriano Luiz Martins.

Diretoria da Acim conhece sistema de mineração de moedas
Avalie esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?