Atendimento: [14] 3402-3300

Dirigente aponta os 1,3 trilhão de pagamento de impostos

 

Gilberto Joaquim Zochio, tesoureiro da Acim, critica a qualidade dos serviços públicos pelo valor arrecadado

 

O tesoureiro da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, Gilberto Joaquim Zochio, demonstrou surpresa pela quantidade de impostos pagos pelos brasileiros até a segunda semana do mês de Julho, quando o total do valor pago em impostos, taxas e contribuições desde o primeiro dia do ano alcançou R$ 1,3 trilhão, segundo o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). De acordo com cálculo da entidade, o montante equivale à compra de 26 milhões de carros populares. “Não é o valor que me assusta e sim, o que foi pago por um péssimo trabalho oferecido pelo Poder Público”, reclamou o dirigente mariliense ao tomar conhecimento dos dados.

Segundo o painel, que informa quanto os consumidores destinam aos cofres da União, dos estados e dos municípios brasileiros, o valor está acima do normal. A marca de R$ 1,3 trilhão chega com 18 dias de antecedência em relação ao ano passado, o que aponta para um aumento da arrecadação na passagem de 2017 para 2018. “A paralisação dos caminhoneiros causou perda de R$ 2,4 bilhões de arrecadação”, lembrou o presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). “Mesmo assim vemos agora uma elevação tributária, que resulta principalmente da alta de preços do combustível, que tem tributação muito elevada”, explicou o dirigente paulista. “Também contribuíram o aumento da inflação de alimentos, transportes e habitação e a recuperação tímida da atividade econômica”, analisa Alencar Burti, também em tom de surpresa.

Para ele, o governo precisa aplicar melhor o dinheiro dos impostos, focando nas prioridades nacionais: educação, saúde e segurança. “Cabe aos eleitores avaliarem a idoneidade e os projetos dos candidatos e, então, votar de maneira consciente, escolhendo quem priorize essas áreas. Só assim poderemos melhorar a situação do País”, falou o presidente da Facesp e da ACSP. “Pagar é obrigação”, lembrou Gilberto Joaquim Zochio. “Mas ser explorado e ainda receber um péssimo serviço público, ai vira caso de polícia”, falou ao mostrar-se indignado com os valores elevados a cada ano mais antecipado. “Um país como o nosso deve recolher bem, mas a contrapartida que é o problema”, reforçou o pensamento. “Se tivéssemos um serviço público melhor, certamente os valores seriam maiores”, acredita.

O Impostômetro foi implantado em 2005 pela ACSP para conscientizar os brasileiros sobre a alta carga tributária e incentivá-los a cobrar os governos por serviços públicos de melhor qualidade. Está localizado na sede da ACSP, na Rua Boa Vista, centro da capital paulista. Outros municípios se espelharam na iniciativa e instalaram painéis, como Florianópolis, Guarulhos, Manaus, Rio de Janeiro e Brasília, entre outros. No portal www.impostometro.com.br, é possível visualizar valores arrecadados por período, estado, município e categoria.

Dirigente aponta os 1,3 trilhão de pagamento de impostos
Avalie esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?