Atendimento: [14] 3402-3300

Dirigente mostra o interesse do consumidor pelo e-commerce

Carlos Francisco Bitencourt Jorge: mudanças de hábito de consumidores e lojistas com a internet

O secretário da diretoria da Associação Comercial e Industrial de Marília, Carlos Francisco Bitencourt Jorge, considerou válida a recente pesquisa realizada pela Boa Vista Serviços sobre os impactos da tecnologia no consumo, mostrando que 59% dos consumidores entrevistados entendem como vantagem nas compras feitas por e-commerce. “Isto mostra que estamos no caminho certo com a apresentação do nosso shopping virtual”, disse o dirigente mariliense que aponta o e-commerce como o principal caminho a ser seguido pelo varejo em geral, em período de pandemia do Covid-19, que obriga a maioria das lojas a estarem fechadas por Decreto Estadual. “Neste período de reclusão, observa-se o aumento das compras no comércio eletrônico, assim como dos serviços de entrega, os chamados “delivery”, que estão se fortalecendo”, afirmou o secretário da diretoria.

Devido à pandemia, muitas empresas estão revendo o modo como oferecem os produtos e serviços para tentar minimizar os impactos na saúde dos negócios, assim como ampliam ou agilizam o acesso dos clientes em lojas “on-line”. Do outro lado, os consumidores, especialmente os menos conectados, estão se habituando a não só pesquisar os preços e a oferta de alimentos, produtos de higiene e limpeza pela internet. Também estão preocupados em buscar referências dos produtos, serviços e das próprias lojas “on-line” para fugir de possíveis fraudes. “Neste caso nossa plataforma garante a seriedade das lojas participantes do “Acim Shopping Marília”, bem como do sistema de compra e venda pela internet”, falou Carlos Francisco Bitencourt Jorge.

Questionados sobre as expectativas quanto ao uso das novas tecnologias pelas grandes redes varejistas, 43% dos consumidores entrevistados esperam, principalmente, reduzir o tempo de procura dos produtos nas lojas físicas e economizar o tempo que gastam nas filas dos caixas. Já 31%, por sua vez, dizem que as grandes varejistas podem utilizar a tecnologia para fazer com que entendam melhor um produto ou mesmo como utilizá-lo, ou ainda para permitir que experimentem novidades e lançamentos. Indagados sobre como se sentem toda vez que precisam fornecer os dados pessoais ao comprarem pela internet, 51% se dizem inseguros, contra 43% que declaram não ter problemas em dispor tais informações. “Na nossa plataforma a segurança é a maior possível, sem riscos de fraudes”, garante o dirigente mariliense.

Para o secretário da diretoria da associação comercial de Marília a comercialização pela internet tem sido a principal alternativa da maioria das lojas do varejo em geral. “As lojas que não são consideradas essenciais pelo Decreto Estadual, podem e devem trabalhar com o comércio eletrônico”, falou. “Sem abrir as portas e nem com atendimento público”, disse ao garantir a comercialização de produtos e serviços pela internet, através da plataforma oferecida gratuitamente para os comerciantes (associados ou não), retornarem a atividade, através do endereço eletrônico: www.marilia.dakki.com.br. “São novos hábitos que vamos adquirir, que contam como experiência e exploração de novos mercados”, disse Carlos Francisco Bitencourt Jorge ao notar aproximadamente 300 empresas participantes do “Acim Shopping Marília”, o shopping virtual criado pela associação comercial.

Dirigente mostra o interesse do consumidor pelo e-commerce
Avalie esta postagem
Siga-nos e curta-nos:

Seja um associado

Independente do porte e segmento da sua empresa, na ASSOCIAÇÃO certamente existe um benefício perfeito para vocé

Dúvidas?